QUEM COMUNICA SE ESTRUMBICA!

Por qualquer que seja o meio e o jeito, o ato de comunicar é inerente a todo o ser humano. Talvez por sermos bizarros, a sociedade humana conferiu à comunicação e à liberdade de expressão a categoria de direito, tamanha é capacidade da nossa célebre espécie em negar aquilo que nos é natural. Mais incrível ainda é que, mesmo assim, o desrespeito aos direitos humanos é cotidiano em nossas vidas.

Quando falamos em comunicação, não estamos falando dessa parafernália toda aí de grandes emissoras de TV, rádio, jornais e sites. Isso aí não é comunicar. Para nós, comunicar implica o diálogo horizontal entre seres humanos. A troca de experiências e de conhecimentos horizontalmente é o que move os ideais de uma comunicação livre, e não uma profusão de informações que se acumulam a partir de um único transmissor – lógica irracional que possui o sentido do capital.

Negamos as relações verticais nos meios de comunicação livre: Não há editor chefe ou patrão que dite todo o conteúdo do meio de comunicação; rejeitamos a verticalidade nas decisões do coletivo, comum nos meios de comunicação comerciais. A prática na comunicação livre é coletiva e é autogestionária….

 

A RÁDIO VÁRZEA LIVRE DO RIO PINHEIROS (107, 1 fm)

Fazer rádio livre não é caçar ouvintes, não é se preocupar com quantos estão ouvindo cada música, cada ideia, se assim fosse não valeria a pena (sabemos que não atingimos multidões com nossos parcos e fracos equipamentos). Se estivéssemos em busca de audiência deveríamos antes de tudo ter um daqueles medidores de ibope como tem os Gugus, as novelas e os JNs da vida. Fazer rádio livre é buscar, angariar a liberdade em um mundo de repressão: é lutar contra contra o famoso (e tenebroso!!!) latifúndio eletromagnético. As rádios livres só existem porque sabem sentem que não há liberdade!

A Rádio Várzea é só mais uma (mas não é só uma) nessa luta. Como qualquer várzea ela enche e esvazia com as cheias e secas, ela não é constante (quem se pretende constante é a Globo, Record e todas as outras com seus padrões mercadológicos de “”“qualidade”””). Mas como qualquer rio, o nosso também transborda e nossa enchente leva nomes como Osama Bin Reggae, ocupação da freqüência da rádio Bandeirantes no meio de um jogo de futebol (2005), em que foi lido um manifesto, corres com Fábricas ocupadas, com Sem tetos e Sem terra, oficinas pela cidade, ajuda na montagem de rádios, entre tantas outras fitas. É tru, nosso rio também bagunça quando transborda…

Quer ler o post todo?????

 

acesse o site da Radio Varzea Livre

 

abrazzz

 

Zolé

 

 

 

 

 


O que proponho a tratar neste texto não justifica os atos cometidos contra o jogador do Palmeiras, mas busca entender tais atos. O que me levou à pensar e depois tentar organizar no papel essas idéias foi a fala do idiota do Galvão dizendo que não são torcedores. São torcedores sim, seu merda!!!

O torcedor vai ao estádio, compra os produtos do clube, sofre com as derrotas, festeja as vitorias e tudo mais. Do outro lado, o clube trata o torcedor como lixo. Ingressos caros, futebol como negociatas, torcedor em ultimo plano. Quando a razão de existir de um clube deixa de ser o seu torcedor para ser o capital que movimenta o futebol moderno, temos três tipos de torcedores.

Os primeiros – minoria- são os que passam a lutar contra o futebol moderno, criando associações de torcedores pra fazer pressão nos dirigente, passam a criticar sempre que possível os efeitos nefastos da relação capitalismo-futebol, buscam a criação de espaços e ferramentas de combate a esse modelo de futebol, criam outras relações com o próprio esporte, tais torcedores promovem uma politização – critica do futebol. Devida, ótima e anticapitalista, onde o torcedor procura colocar-se como sujeito de sua paixão, pelo clube, mas sobre tudo, pelo futebol.

O segundo são os “torcedores de sofá” que não ligam, assistem pela tv e foda-se, esses são maioria e compõem o perfil desejado pelas emissoras de tv e clubes que ganham rios de dinheiro com a venda dos direitos de imagem, o que em grande parte explica, dentre outras coisas, o descaso com o torcedor de estádio, sobre tudo nos setores populares desses espaços e a elitização dos mesmos.

E por ultimo, temos os torcedores que levados pela paixão ao futebol e ódio a sua modernização, mesmo que não tenham plena consciência desse processo e seus desdobramentos, que por “n” motivos não possuem experiências políticas para se organizar entorno da defesa de suas paixões e desejos, em grande parte pertencente das classes medias e baixas, no turbilhão que se encontram suas paixões não correspondidas, as frustrações de um mundo que não lhes oferece mais do que a opção de serem espectadores em um espetáculo do capital e seus agentes, espetáculo esse reforça a idéia de que somente os possuidores do capital – material e/ou intelectual – podem ser sujeitos. Esses torcedores recorrem à violência, pois nenhuma outra forma de atuação para que se tornem protagonistas de suas paixões e desejos lhes foi apresentada, desde muito esses grupos são privados de experiências para lidar com o mundo, de linguagem para fazer frente à constante expropriação de todos os âmbitos de suas vidas. Seu esporte, não é mais seu, seu clube não é mais seu, bem como sua cultura, religião, o produto de seu trabalho, etc. Obviamente, esse processo de expropriação, como roubo que é, tende a ser violento.

Enfim, temos que ir alem do simples julgamento moral, não somos padres. Temos que pensar essas questões a luz das ótimas ferramentas que tivemos o privilegio de adquirir, é isso ou perdemos a razão de ser. É isso galera, agora toca discutir isso ai porque é assim que aprendemos.

Bjos pra todo mundo. Dimas.


DIA 08 DE OUTUBRO É O DIA.
O HORÁRIO SERÁ AS 13 HORAS.
O PÚBLICO? TODOS E TODAS.
MAS, PARA QUÊ?
PARA MANIFESTAR, AGITAR, SACUDIR, BALANÇAR AS ESTRUTURAS DA QUEBRADA DE ERMELINO MATARAZZO COM MUITA:
ARTE, DANÇA, POESIA, EXPOSIÇÃO DE FOTOS, EXIBIÇÃO DE CURTAS METRAGENS, CIRCO, TEATRO E ASSIM VAI… RESUMO UM GRANDE DIA PARA SE MANIFESTAR ARTISTICAMENTE E COMUNITARIAMENTE.
É SÓ CHEGAR E DEMONSTRAR SUA INTERVENÇÃO SEM TER MEDO, POIS A PROPOSTA É SIMPLES: LUTAR POR UMA CASA DE CULTURA PARA QUE POSSAMOS TER ABRIGO E AMPLIAR A NOSSA IDENTIDADE NO CAMPO DA ARTE E DA CULTURA, EDUCAÇÃO E CIDADANIA, COMUNITÁRIA E REGIONAL.
LOCAL: RUA PROFESSOR ANTÔNIO DE CASTRO LOPES, EM FRENTE AO NÚMORO: 1371.
PARQUE LINEAR FRANCISCO MENEGOLO.
CENTRO DE ERMELINO MATARAZZO.
É NÓIS, E VAMOS QUE VAMOS.

POIS A LUTA NÃO PÁRA, ESTA APENAS COMEÇANDO!!!

SE VOCÊ APÓIA ESTA ATIVIDADE, REPASSE A INFORMAÇÃO EM SEU BLOG, FACEBOOK, ORKUT, TWITTER, DIVULGUEM O QUANTO PUDER, NÓS DA QUEBRADA AGRADECE.


Osama Bin Reggae IX – Quem é o terrorista?

O terrorismo da revitalização.

Revitalizar, reviver, trazer de volta a vida o que  pretensamente fora dela está. É o que querem nos fazer pensar quando agem com seus aparatos jurídicos e, por que não, físicos em espaços considerados “mortos”, espaços da não vida, e  que ,por isso, devem ser revitalizados.  Ao pensarmos em vida, pensamos em seres humanos, que constroem seu modo de vida, que são “livres”. Essa construção da vida que para alguns passa por uma construção espiritual, para todos está ligada a uma construção material, ou melhor, a várias construções materiais, sim meus caros, falo de casas, apartamentos, barracos, palácios de pedra, castelos de madeira.

Mas vocês devem estar pensando: essas construções são coisas mortas não? Madeira, bloco, cimento é tudo material sem vida né? Eu Osama sei muito bem disso, do alto da minha experiência de vida e da experiência de minha família em ganhar milhões de dólares fazendo parte de consórcios de construções que prometem tornar o mundo num canteiro de obras vos digo: sim é material morto,  mas que nós seres humanos atribuímos a essas coisas valores de gente, e digo mais, no sentido inverso, fazemos da gente material morto, que é preciso revitalizar, tornar “vida” novamente,  movimentando a economia de uma forma incrível, com força até para quebrar bolsas de valores e deixar em shook os reis do capital especulativo. O terrorista que tem o nome parecido com o meu, mas defende o capital, Obama, na tentativa de salvar esses reis comete – como todos os ocidentais – o maior atentado terrorista do universo: privilegiar o capital e deixar os pobres alienados cidadãos americanos à deriva na historia.

Enganam – se vocês tolos mortais que tal movimento é exclusivo do meu irmão Obama. Eu Osama, que daqui do Céu vejo tudo, posso afirmar, essa pratica é mais comum do que vocês imaginam. Focando meu olhar celeste para a “locomotiva da nação” São Paulo, vejo uma parte do que disse antes acontecendo com o disfarce de revitalização.

Despejos e desapropriações na zona sul às margens da represa que recebe todo o lixo do plácido Ipiranga. Sim, na Guarapiranga ocidental o povo pobre está sendo retirado em prol da revitalização do espaço, este que sempre teve vida, mas agora interessa torná – la “morta” para que o capital entre com seus rolos compressores e atravesse um mundo de comunidades que não compartilham com sua forma de vida,  porque nada justifica a desapropriação e remoção de pobres e a manutenção e valorização de mansões que dividem as mesmas margens de tal represa.

cheque despejo: sua casa por 400 reais durante 3 meses. Topa!!!!!?

E na beira do rio, agora do Tiete, que também, ou só, tem lixo, o tal do parque linear vem removendo e vai remover milhares de famílias em prol do meio ambiente, porém as empresas que habitam essas margens podem ser contornadas para a manutenção do progresso. Depois dizem que o cinismo está fora de moda, pobres mortais, o ser cínico é que ajuda a manter as coisas como estão …

E por falar nele…. Tem uma coisa que vocês pobres brasileiros pensam que lhes pertencem, mas, infelizmente, pensam errado,  o tal futebol…, é pessoas…, vão ai uns questionamentos: quantos clubes valorizam sua maioria de torcedores? Quais entidades que organizam o futebol são publicas e precisam prestar contas? (se bem que isso não garantiria nada) Vocês receberão a copa do mundo, melhor, vocês financiaram a copa do mundo, que traz em seu discurso  de progresso, o terror da revitalização dos espaços.

Retirar pessoas e colocar o capital, essa é a escolha dos que “vos representam” porque eu, artista que fui, agora vejo tudo de cima, mas confio ao coletivo que leva meu nome, Coletivo Osama Bin Reggae, a jihad de manter a tensão no ar e subverter a lógica das coisas mais simples da vida (des)humana, na esperança que vocês que estão a ler isso somem suas forças e construam um mundo onde caibam muitos mundos.

E para continuar essa prosa confirmamos a presença dos coletivos para construírem conosco esse inicio de troca de experiências em alguns casos, e o fortalecimento de outros laços em outros casos.

Nem Obama, Nem Osama: A democracia é o terror!

Direto da nuvem 7,

Interferindo no latifundio eletromagnético

Osama Bin Laden.


Nem tem o que falar!!!

 

 

tamo junto, vamo divulgar, pelo direito de ocupar praças publicas em qualquer quebrada da cidade!!!!

 

Tamo Junto

 

Zolé!


http://radiovarzealivre.wordpress.com/

 

vamo ascessar rapaziada do desabafo!!!

 

abrazzz

 

Zolé!